Saúde Sexual e Reprodutiva

É importante ressalvar que não bastam preocupações técnicas: sem vontade política e investimento em recursos não será possível reduzir a incidência de qualquer destes problemas a nível da saúde e impacto no desenvolvimento. Instrumentos internacionais como a Convenção para a Eliminação de Todas as Formas de Violência Contra as Mulheres (CEDAW), o Programa de Acção da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (ICPD), a Declaração do Milénio e mais recentemente a Declaração de Estocolmo de 2014 apontam para a importância de uma acção concertada a estes níveis, tendo em comum a ideia de que toda a mulher deveria ser capaz de tomar decisões informadas acerca de saúde sexual e reprodutiva sem ser alvo de discriminação, violência ou coerção.

Ver documentação relacionada com o tema.

. Sociedade Civil na 70ª sessão da Assembleia Mundial da Saúde / OMS - Palácio das Nações, Genebra

WHO logo 150x45

"A abordagem de direitos humanos nas politicas e programas de saúde é fundamental se quisermos trazer mudanças e assegurar o cumprimento, protecção e respeito de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais de todas as pessoas, em cumprimento da constituição da OMS, do Pacto Internacional de Direitos Económicos, Sociais e Culturais e  de outros instrumentos relevantes de direitos humanos."

A man too busy to take care of his health is like a mechanic too busy to take care of his tools Medz Canada.

Estratégia Global para a Saúde de Mulheres, Crianças e Adolescentes (2016-2030): saúde de adolescentes

WHO2017 GlobalStrategyWomenChildrenAdolescentsHealth 150x80

"Todos os Estados devem implementar medidas legais, políticas e outras para monitorizar e abordar as questões sociais, normas culturais e de género e para remover as barreiras estruturais e legais que prejudicam os Direitos de mulheres, crianças e adolescentes (...)".

Contribuição dos Governos para a “Saúde Reprodutiva, Materna, Recém-nascido, Criança e Adolescente” (RMNCAH) e “Planeamento Familiar” (FP)

EURO MAPPING 2016

Euromapping de 2016 centra-se na contribuição dos Governos para a “Saúde Reprodutiva, Materna, Recém-nascido, Criança e Adolescente” (RMNCAH) e “Planeamento Familiar” (FP). Com base nos dados oficiais da OCDE entre 2011 e 2014 , são analisadas as tendências que afetam o financiamento determinante para alcançar muitos dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável - Saúde Reprodutiva, Materna, Recém-nascido, Criança e Adolescente  e Planeamento Familiar precisam e devem estar no topo da agenda de todos os parceiros.

Animação explica o parto com linguagem simples para crianças

video catraquinha 200x110

O projeto Universidade das Crianças reúne professores e investigadores para responder a perguntas de crianças. De entre outros vídeos, preparou uma animação com uma linguagem bem simples para explicar como nascem os bebés.

. Direitos das raparigas, saúde e direitos sexuais e reprodutivos é essencial para a vida de todas as pessoas

video gender-equality 200x115

Investir em direitos das raparigas, saúde e direitos sexuais e reprodutivos é essencial para a vida de todas as pessoas. Não sabe porquê? Acompanhe o relatório “Sexual and reproductive health and rights: the key to gender equality” e o video “Gender equality: the power of change” ambos da IPPF.

UNFPA estima que 250 mil a 300 mil deslocados de Mosul serão raparigas e mulheres em idade reprodutiva

logo unfpa

Com as operações militares em curso para retirar a cidade iraquiana de Mosul das mãos do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh), milhares de civis fugiram e espera-se que o número de pessoas deslocadas aumente. A resposta humanitária poderia ser a "maior e mais complexa do mundo em 2016, com 1.2 a 1.5 milhões de pessoas afetadas", de acordo com as previsões das Nações Unidas. Destas, o UNFPA estima que cerca 250 mil a 300 mil serão raparigas e mulheres em idade reprodutiva a precisar de serviços de saúde sexual e reprodutiva e de proteção contra a violência de género.

Está em... Home Notícias Saúde Sexual e Reprodutiva